• Postado por Tiago

João e Bruno fugiram depois do crime levando apenas dois ceulares

Os tiras da central de Operações Policiais (COP) de Itajaí prenderam dois dos três bandidos supostamente envolvidos na morte do turista goiano Luiz Gustavo Brandini, 29 anos. O assassinato rolou em dezembro, durante um assalto na praia Brava, em Itajaí. Os policiais viajaram até o Paraná para colocar atrás das grades, na noite de sexta-feira, João Maria dos Santos, 29 anos, conhecido como Cavalo, e Bruno Fernando dos Santos, 21. A equipe de investigação já tá na cola do terceiro assaltante.

Desde terça-feira os policiais da COP estavam vasculhando a região metropolitana de Curitiba para encontrar os bandidos. Os tiras chegaram aos acusados através de um dos celulares roubados durante o assalto. Cavalo vendeu o telefone móvel a um empresário da capital paranaense. Depois de identificar João, a polícia descobriu os dois outros participantes do crime, Bruno e Sérgio Alexandre Pinheiro. Sérgio continua foragido.

Com o apoio de investigadores da divisão Estadual de Narcóticos do Paraná (Denarc), os tiras da COP foram à casa de Cavalo, na rua Guilherme Wisniewski, no bairro de Santa Cândida, na noitinha de sexta-feira. Os policiais esperaram o cara chegar em casa para dar o atraque. O danado percebeu a movimentação quando chegou na rua de casa e ainda tentou fugir de carro. A perseguição durou cerca de cinco minutos. A quatro quilômetros do local, Cavalo perdeu o controle da direção e beijou um poste.

Na casa do suspeito, os homidalei encontraram dois rádios que serviam para interceptar a frequência da polícia e ainda três revólveres calibre 38, que teriam sido utilizados no assalto. As armas encontradas batem com a descrição feita pelas vítimas. O outro celular roubado também estava escondido na casa.

A polícia acredita que um dos trabucos, de cor prata, teria sido utilizado para matar Luiz Gustavo, pois estava com bala deflagrada. O turista morreu com um tiro certeiro na cabeça.

Depois da prisão de Cavalo foi a vez de Bruno receber o teje preso. Ele foi grampeado em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Os tiras afirmam que Bruno é quem teria disparado contra o turista goiano.

Cavalo e Bruno se conheceram na cadeia. O primeiro ficou preso por oito anos por assalto e assassinato e há seis meses tava na rua. Bruno foi preso por tentativa de assalto em Curitiba e há três anos tava sem ver o sol nascer quadrado. Os dois negam participação no crime.

Matou pra roubar dois celulares

Os bandidos chegaram de cara limpa à casa chiquetosa na praia Brava, alugada por 11 amigos de Goiânia/GO para a virada de ano. O crime rolou na noite do dia 29 de dezembro.

O pessoal tava na piscina quando os três assaltantes apareceram e mandaram todo mundo pra dentro. Luiz Gustavo tava tirando uma soneca no quarto. Quando Bruno teria chegado ao quarto pra roubar os pertences, o turista se assustou e gritou. Recebeu um balaço na cabeça, sem dó nem piedade. Os bandidos fugiram em seguida, levando apenas dois celulares.

  •  

Deixe uma Resposta