• Postado por Tiago

Bandidos escondiam motocas financiandas que não eram pagas

A equipe de investigação da polícia civil da Santa & Bela tá sivirando nos 30 pra identificar os equipamentos eletrônicos e cargas apreendidas com os 21 presos na operação Tijucas. A ação rolou nas primeiras horas de segunda-feira e grampeou uma quadrilha especializada em assaltos a residências e cargas valiosas na região. Os tiras tentam identificar qual a função de cada preso no bando e onde estão os foragidos. Pelas contas dos delegados envolvidos na megaoperação, o preju pode chegar a R$ 5 milhões.

Uma montoeira de equipamentos eletrônicos lota as salas da central de investigação de Balneário Camboriú. Entre a bagulhada estão tvs de todos os tamanhos e marca, dvds, torradeira, aparelho de som, micro-ondas e até computadores que foram roubados de assaltos a casas e apartamentos da região que vai desde Navega, passa por Gaspar e Blumenau e termina em Floripa. Entre os troços que foram confiscados têm de cobertores a tampo de pia.

Os aparelhos foram encontrados pelos homisdalei durante os atraques de segunda-feira em Camboriú, nas casas de Orlando Mendia, no bairro Conde Vila Verde, e Mauri Alves Garcia, o Percebe, mano do bandidinho-mirim Craca, que vive no bairro Monte Alegre. Os dois acusados simandaram minutos antes de a puliça dar o atraque, e são considerados foragidos da justa, já que tão com a prisão decretada.

Durante a abordagem os policiais recolheram também cargas de móveis de escritórios e baias, roubadas de caminhões em Rio do Sul e Biguaçu. Pelas informações repassadas pela delegada de Tijucas, Luana Chaves Backes, os móveis estavam na casa de Irene da Silva Paracela, presa no bairro Cordeiros, no Itajaí. ?Deu quase meio caminhão da polícia?, conta referindo-se à quantidade de material apreendido. Pros policiais, a quadrilha tá metida com outros dois ataques a brutus de cargas que rolaram em Floripa.

Entre os trecos também foi encontrado um revólver municiado e foram recolhidas oito motocas e uma cabrita desmontada, achada no bairro Salseiros, na city peixeira. A motoca, placa MGB 6775 (Itajaí), estava adulterada. Já outras sete motos com placas de Gravataí/RS, Camboriú, Itapema e Balneário são bruxas. ?São aquelas financiadas e mandadas embora pra não pagar?, explica o delegado André Manoel de Oliveira Filho.

O levantamento do montante que a quadrilha lucrou deve ficar pronto somente hoje, embora os bandidos lucrassem pouco com as quinquilharias roubadas, já que chegavam a revender produtos 100 vezes abaixo do valor de mercado.

O povão que foi vítima da bandidagem nos últimos 10 meses pode dar um pulo na delegacia com a nota fiscal dos produtos roubados pra reconhecer os trecos e, se possível, levá-los divolta pra casa.

Relembre

Nas primeiras horas da manhã de segunda-feira, 100 policiais civis de 17 equipes do estado deflagraram a operação Tijucas. Deram atraque em 11 cidades do estado e grampearam 21 pessoas metidas com roubo de cargas, assalto a residências e sítios da região.

Um por um

A polícia trabalha agora pra identificar as funções de cada um dos 21 presos na quadrilha. O delegado da diretoria estadual de investigação criminal (DEIC), Renato Hendges, tá tomando o depoimento dos envolvidos e identificando quem eram os cabeças da parada. Por enquanto, Percebe, Gilmar Zin e Vilmar Gaspar Júnior, o Bileu, são apontados como chefões de todo o rolo. ?. Através dos interrogatórios vamos estabelecer a participação de cada um e em quais crimes?.

Dos mais de 20 enjaulados, 14 estão com a prisão preventiva decretada e deverão passar um bom tempo vendo o sol nascer quadrado. Os outros são parentes de vagabundos envolvidos com o rolo e podem responder em liberdade depois de prestarem depoimento.

O dotô Renatão pretende dar um gás nas investigações pra localizar os foragidos que já estão com prisão decretada. ?Vamos intensificar as investigações?, acrescentou.

Bagulhada dava para encher metade de um caminhão

  •  

Deixe uma Resposta