• Postado por Tiago

A equipe de investigação da Polícia Civil de Camboriú identificou o mandante e o assassino de Luciano Zeferino, encontrado morto na manhã de segunda-feira na subida do morro do Inferninho. Os homisdalei trabalham para chegar ao nome do outro sujeito que foi assassinado no mesmo dia, pertinho da Cabaña Del Piá, no Rio do Meio.

Logo depois de encontrar o corpo de Luciano, os policiais de Camboriú siviraram nos 30 pra identificar os bandidos que meteram o crime e ajudaram a aumentar os índices da violência na região.

Ao bater um papo com os zolhudos de plantão, chegaram até o nome do vadio que teve coragem de apertar o gatilho e do traste que encomendou o crime. “Está claro que aquilo ali é coisa de traficante e usuário”, explica o delegado de Camboriú, Fábio Osório, que não informou o nome dos suspeitos pra não atrapalhar as investigações. O dotô Fábio trampa ainda pra identificar os malencarados que, no mesmo dia, mandaram pra terra dos pés juntos um carinha ainda sem nome. O rapaz foi morto pelas 17h de segunda-feira com um tiro na cabeça.

Pro delegado, o assassino teria levado a vítima num Opala prata até o local do crime. Quando notou que não tinha ninguém por perto, fez a desgraceira e simandou cantando pneu. “Aquele ali foi execução. A vítima usa drogas e provavelmente falou demais ou estava devendo algo”, contou o dotô.

A vítima tava com as pontas dos dedos queimadas, como ficam as mãos de quem é chegado numa pedra do capeta. O cara tem cerca de 1,70 de altura, é magro, calvo e aparenta ter 30 anos. Usava bermuda azul e chinelos no momento do crime.

  •  

Deixe uma Resposta