• Postado por Tiago

Uma operação do Ministério Público de São Paulo mandou pra trás das grades ontem um cara de Palhoça, que tava envolvido até o pescoço com uma quadrilha que falsificava vistos e vendia pro povão que queria abocanhar umtrampo temporário nosIstêitis. A sacanagem, descoberta depois de uma denúncia do consulado americano, teria feito mais de 4,5 mil vítimas em todo o país e um prejuízo de mais de 90 milhões de reais.

O esquema rolava há pelo menos sete anos, e rendia uma boa grana pros falsários.

Os vistos fajutos, que eram impressos em várias cidades do estado de São Paulo, eram vendidos pela bagatela de 15 mil dólaes, o que dá mais de 25 mil reales. Os tansos que aceitavam fazer o negócio só descobriam que tinham sido enganados quando apresentavam o papéli pras otoridades, ao entrar nos Istêitis, e a fraude era desmascarada.

Nos últimos tempos, uma parceria entre o Ministério Público, a donajusta, a polícia, a receita Federal e o consulado gringo rendeu uma bizolhada das grandes, que contou até com policial infiltrado no esquema da quadrilha. Os membros foram identificados, e ontem ganharam uma visitinha dos homisdaleidurante a operação, que ganhou o nome de Anarquia.

Ao todo, 11 pessoas foram grampeadas em São Paulo, Minas Gerais, Paraná e na Santa & Bela. Também rolaram buscas de provas do esquema nos Estados Unidos, mas ninguém foi preso por lá.

O Ministério Público catarina recebeu a missão de enjaular o único alvo destas bandas, e contou com uma mãozinha dos homis da puliça Civil pra lascar o tejepreso num morador de Palhoça, que não teve seu nome divulgado. O cara foi levado pra São Paulo, onde será ouvido.

A prisão do barriga-verde é preventiva.

  •  

Deixe uma Resposta