• Postado por Tiago

Gurizão chegou a ser atendido pelos médicos do hospital, mas não resistiu

Surge uma nova versão para a morte do dimenor Matheus Alves da Silva Araújo, 14 anos, assassinado com um tirombaço no peito terça-feira feira à tarde, no pátio do hospital de Navegantes. O tiro que matou o guri pode ter partido de dentro do carro onde ele estava, e não de fora pra dentro como a perícia apontou inicialmente. O rapaz estava no carro com o amigo Ricardo Luís Lopes, 18, que tomou Doril depois do crime.

Os bizoiudos de plantão contaram à polícia que Matheus e Ricardo tavam dentro do gol, placa AAU 1630 (Itajaí), quando um safado apareceu e mandou um tiro certeiro contra o dimenor. O assassino teria fugido pedalando uma ziquinha e jogado a arma do crime numa caçamba de lixo que encontrou pelo caminho. O trabuco foi encontrado pelos milicos momentos depois que rolou a crueldade.

O delegado Savério Sarubbi, que preside o inquérito que investiga as causas do assassinato, explica que a polícia trabalha com várias possibilidades pra tentar chegar ao assssino. Ontem, os tiras começaram a ouvir as testemunhas da treta, parentes e amigos do dimenor, pra ver se conseguem meter o matador atrás das grades o mais rápido possível.

Como nenhuma suspeita está sendo descartada, os homis também tão apurando se o crime teve alguma ligação com o tráfico de drogas. O pai de Matheus, Marco Alves Araújo, 39, contou que o tio do menino teria visto o garotão passeando com uma galera do mal. O gurizote foi assassinado no pátio do hospital, quando aguardava o colega Gerson Luís de Matos Machados, 32, que tinha sido internado após levar um tiro na noite anterior.

Crimes podem ter ligação

A morte de Matheus pode ter ligação com a tentativa de assassinato de Gerson, que foi baleado nos joelhos, na madruga de segunda-feira, por dois trastes que apareceram de uma hora para outra. Ele foi ferido na frente de uma baiuca da rua Dona Aracia, quando conversava com um garotão de 17 anos.

A dupla que recebeu as azeitonadas já foi ouvida, mas resolveu fechar o bico e não dar qualquer tipo de informação que ajudasse a polícia a encontrar os atiradores. ?Fica mais complicado relacionar os dois crimes sem a descrição dos bandidos?, falou o dotô. Os homisdalei ainda não sabem se os crimes têm alguma relação com a bandidagem que anda apavorando Navega city.

  •  

Deixe uma Resposta