• Postado por Tiago

A polícia civil de Porto Belo levou pra jaula ontem à tarde um aborrescente de 17 anos, que parece ter trato com o dêmo. O minitraste, que já tem um filhinho de dois anos, era acusado de ter sentado o sarrafo no bebê. Mas quando os tiras chegaram à sua casa, o pegaram no flagra, separando pedras de crack pra vender pros viciadinhos de plantão. Ele foi levado pra depê e deve ficar por lá até que a dona justa decida pra onde vai mandá-lo.

O aprendiz de malaco P.B., que apesar de saber fazer criancinha não tem juízo nenhum na cachola, andava com a ficha mais suja do que pau de galinheiro. A mocinha com quem ele se amontoou, fez uma renca de queixas contra o traste na delegacia, falando das ameaças e dos maus-tratos ao filhinho dos dois.

A última do coisinha-ruim teria sido jogar o bebê contra a parede, há alguns dias. Parentes da mãe da criancinha denunciaram o caso, que foi parar no conselho tutelar da city. E não era a primeira vez que o aborrescente aprontava das suas. O conselho também tava de zóio nele porque ele teria tentado atropelar uma criança de 10 anos com uma moto.

Ontem, os conselheiros resolveram ter um plá com o encapetado e pediram uma mãozinha dos homisdalei. Assim que chegaram à baia onde ele morava, no morro do beco do Amadeu, uma favelinha que tá surgindo no centrão de Porto Belo, encontraram o malaquinho com a boca na botija.

Os tiras deram um bizu pela janela, pra ver se a barra tava limpa, e viram P. embalando pedrinhas de crack. Concentrado no serviço, ele não sitocou que tava sendo vigiado. Como tavam com um mandado da dona justa em mãos, os policiais entraram no casebre e guentaram o rapazinho, que tava sozinho. Sua companheira já tinha siscapulido da casa há alguns dias, com medo do minitraste.

  •  

Deixe uma Resposta