• Postado por Tiago

Helicóptero fez buscas, mas não achou nadica de nada

Uma perseguição da polícia Militar de Itajaí movimentou o bairro Cordeiros, em Itajaí, na tarde de ontem. A polícia desconfiou de dois motoqueiros que carregavam uma caixa de papelão na motoca e os mandou parar. Os putos ficaram nervosos e decidiram fugir. Tocaram a moto em cima de um policial e trocaram tiros com os homis. Um bandido foi preso ao tentar pegar a caixa recheada de maconha e o outro se jogou no rio e conseguiu deitar o cabelo a nado.

A muvuca começou por volta das 16h, na rua Luiz da Silva, pertinho da escola Melvin Jones, no loteamento Jardim Esperança, o popular Brejo. Um carro da PM fazia rondas, quando viu o carona da moto, placa MGE 5089 (Itajaí), carregando uma caixa de papelão. Ao verem a baratinha da PM se aproximar, eles tentar siscapulir.

Os policias deram a volta no quarteirão e fizeram uma barreira pra guentar os trastes, mas isso não conteve os sem-vergonhas. O piloto da motoca, Cleberson Fabiano Francione, 26 anos, enfiou a cabrita em cima de um policial. O PM caiu e ele continuou a fuga. Mas, logo em seguida, o cara perdeu o controle da cabrita e caiu.

Cleberson, antes de tentar simandar, resolveu pegar a caixa de papelão e acabou se dando mal. Ele foi preso com as calças na mão e dentro da caixa foram achados quatro tijolos de maconha, pesando cerca de seis quilos.

O outro traste mandou três balaços contra um milico, mas nao acertou nenhum. Ele se jogou no rio e conseguiu fugir. Pra tentar localizar o safado, a PM pediu apoio ao helicóptero Águia-1, que voou baixo nos Cordeiros, mas não encontrou ninguém. Os milicos descobriram onde o fugitivo morava e foram até a casa do safado. Na baia, a televisão tava ligada e as janelas abertas, mas não tinha ninguém. Juso, como é conhecido o traficante, já teria passagem pela polícia por tráfico de drogas. Cleberson já caiu por assalto.

Levados pro Marieta

Enquanto os meganhas caçavam Juso, uma baratinha levou Cleberson até o hospital Marieta Konder Bornhausen. O cara ficou todo estourado da queda da motoca e precisou ser medicado. Depois dos curativos, ele foi levado pra depê. Os milicos não pegaram o prontuário médico do paciente e tiveram que voltar pro hospital, pra buscar o documento. O delegado de plantão só aceitou receber o preso, quando o papéli chegou na 2ª depê.

O soldado Wagner, que foi atropelado durante a ocorrência, teve ferimentos leves no braço e também foi atendido no hospital Marieta. Ele foi liberado após os curativos e passa bem.

  •  

Deixe uma Resposta