• Postado por Tiago

O tratorista que matou o vigilante Ailton Domingos, 41 anos, quando transportava uma baia de madeira, na madrugada de quarta-feira, se apresentou ontem na depê de Balneário Piçarras. Isac Orlando Manoel da Silva, 27, disse que fugiu do local do porradaço porque tava com medo de ser linchado pelo povão.

Os tiras contaram que, por volta das 11h de ontem, Isac pintou na depê com seu advogado, Nabor Pires. Como sua prisão ainda não havia sido decretada, o cara conseguiu fugir do flagrante e não foi preso.

Durante o depoimento, Isac falou que ficou desesperado ao ver o motoqueiro morto, e, sem saber o que fazer, simandou num Palio cinza, que seguia o trator. Ele tava com medo de ser linchado pelo povo. Contou ainda que tinha um carro na frente do trator, pra sinalizar o trânsito, mas o possante foi embora quando chegaram na avenida Getúlio Vargas, centro das Piçarras.

Logo em seguida, na avenida Nereu Ramos, Ailton não viu a baia que, praticamente, ocupava as duas pistas, e bateu a cachola com tudo na madeira. Isac revelou que o batedor era seu Osmar Eleotério, o comprador da baia de madeira.

Agora, a delegada Flávia Rigoni Gonçalves vai encerrar o inquérito policial e autuar o tratorista e o proprietário da baia por homicídio culposo – quando não há intenção de matar.

No ano de 2004, o pai de Isac, Orlando Manoel da Silva, 53, também matou dois motoqueiros do mesmo jeitinho e até agora não foi julgado pela dona justa.

  •  

Deixe uma Resposta