• Postado por Tiago

Tiras tentam identificar os pontos de drogas da terrinha

Circulação de viciadinhos chamou a atenção da polícia que pediu ajuda para botar os mequetrefes atrás da grades

O tráfico de drogas sofreu três baixas seguidas em Camboriú. No feriado e ontem os homisdalei não deram moleza pros traficas e recolheram uma montoeira de maconha e crack em três operações. As abordagens rolaram em menos de 10 horas e acabaram com cinco presos.

A primeira ocorrência rolou pelas 17h. A equipe de investigação da polícia civil de Camboriú, que trabalha disfarçada, ficou de olho na movimentação da casa da rua Bahia, no bairro Areias. Depois de ver que a circulação de viciadinhos era grande, pediram apoio dos colegas da Central de Operações Policiais (COP) de Floripa e deram o atraque.

Abordaram C.G.L., 17 anos, que abriu o bico e admitiu que tava escondendo porcarias para Vagner Tompson, 29. Uma policial muié deu busca na moçoila e encontrou 16 pedras de crack. Com o flagrante, os homisdalei deram um guento no casal. Logo em seguida baixaram na baia vizinha e acharam mais nove pedras de crack com o Johny dos Santos Capistrane, 32. O trio foi levado pra delegacia e os dimaiores foram parar atrás das grades por tráfico.

Pouco depois, a casa caiu pra Anna Karolina Garcia, 18, e pro Valmir Gracello, 39. Uma baratinha em rondas abordou o casal que tava dando bobeira na esquina da rua Monte Bonete com a rua Monte Juliana, no bairro Monte Alegre. Os tiras deram uma geral e encontraram com a moça um torrão com 50 gramas de maconha. Encagaçada, ela disse que guardava a drogalhada pra Valmir.

A mulher contou que tinha dado o ar da graça no local pra comprar cinco pilas da porcaria com o carinha, mas quando a viatura passou o trafica teria melado a cueca e pedido pra ela esconder a erva do Bob Marley. Depois de muito rolo, a dupla recebeu uma passagem só de ida pro xadrez.

O último atraque aconteceu pelas 2h de ontem. Policiais militares em rondas viram um sujeito chegar montado numa motoca, que não teve a identificação informada, numa casa da rua Monte Lucânia, no bairro Monte Alegre. Como a polícia já suspeitava que no local funciona um ponto de venda de drogas, resolveram revistar o espertalhao e não deu outra. O malaco tava recheado de pedra do capeta.

Com Antônio Augusto da Moita Figo, 37, os tiras encontraram um torrão com 78 gramas de crack e duas facas. O tiozinho teve que dar explicações na delegacia da cidade da pedra.

  •  

Deixe uma Resposta