• Postado por Tiago

Os tiras da central de investigações de Balneário Camboriú grampearam ontem uma muié e dois aborrescentes que torturaram e por pouco não mataram um desafeto durante a madrugada, no bairro das Nações. O coitado levou um tirombaço na boca, e quase passou dessa pra uma melhor. Com o trio de bandidos foi encontrada uma grande quantidade de crack e maconha, munição e uma renca de joias de prata que a puliça imagina que tenham sido surrupiadas por aí.

A barbaridade rolou por volta das 3h30 de ontem, na rua Mauritânia. Márcia Costa de Oliveira, 21 anos, a moçoila D.T.C., 17, e o minitraste J.O.R., 14, tinham amarrado as pernas e braços de Valmir Galdino Barbosa, 33, e encheram o cara de pontapés. Pra garantir que seus gritos de dor não fossem ouvidos, enfiaram dois pares de meias na boca do desafeto.

De repente, a vizinhança ouviu um tiro. A bala, disparada por Márcia, atingiu Valmir na boca e fez um rombo em sua bochecha. Mesmo ferido, ele conseguiu siscapar dos três mequetrefes e ganhar a rua. Bisbilhoteiros de plantão, que acordam com o auê, chegaram a ver o coitado correr alguns metros, e depois cair na chón, ensanguentado. Valmir foi socorrido pelo Samu e levado pro hospital Santa Inês, onde continua internado. Apesar do tirombaço, ele não corre risco de morte.

Logo após a treta, as polícias militar e civil estiveram no local e recolheram o cartucho que foi mandado pra perícia. Os homisdalei chegaram a bater um papo com os bizolhudos que tavam na área, mas o povão fez boquinha de siri e não deu um pio. Mais tarde, o pessoal da central de investigações, que tá bizolhando outro assassinato que rolou em Camboriú há alguns dias com as mesmas características, resolveu ter um plá com Valmir no hospital. Eles descobriram que Márcia era a atiradora sanguinária, e saíram à cata da muié.

Ela foi encontrada por volta das 10h, quando chegava numa quitinete da rua Paraguai, onde tá morando desde que se mudou de Curitiba, há alguns meses. Os dois dimenores que participaram da treta, e também vieram da capital paranaense, foram grampeados junto com Márcia.

Dentro da baia foram encontrados quase cinco quilos de maconha e uma porção de crack. Era uma pedra grande, de cerca de 110 gramas, e 41 papelotes prontos pra serem vendidos pros viciadinhos. Além disso, os tiras também acharam 16 munições de pistola calibre 380, uma renca de celulares e muitas joias de prata. Como a maior parte das peças tava com etiquetas, a polícia vai agora tentar descobrir de onde vieram.

Márcia confessou a tentativa de assassinato, mas disse que perdeu a arma do crime. Os homisdalei descobriram que Valmir tava envolvido com o mundo das porcarias, e andava com o couro negociado por conta de uma briga de tráfico. Os tiras ainda vão tentar confirmar se o trio preso teve ou não participação no outro crime que tá sendo investigado.

  •  

Deixe uma Resposta