• Postado por Tiago

Três malacos que tavam com vaguinhas reservadas no xilindró foram grampeados pela polícia na noite de quinta-feira. O caso mais escabroso foi o de um criminoso arrependido, que chegou à rodoviária de Itapema gritando pra quem quisesse ouvir que tava pedido pela dona justa e precisava pagar o que devia. Coisa de doido!

Era por volta das 22h quando o pessoal que trampa nos guichês de venda de passagens da rodoviária de Itapema telefonou pra polícia avisando que um maluco tava pedindo pra ir pra cadeia.

Cleverson Augusto Jardim, 32 anos, berrava aos quatro ventos que precisava pagar sua dívida com a sociedade. Mesmo pensando que se tratasse de um trote, os milicos foram dar um bizú no que tava rolando.

Eles consultaram o sistema caça-bandido e descobriram que a história de Cleverson era verdadeira. Ele tava foragido do Paraná há dois anos, por receptação de mercadoria roubada e porte ilegal de arma. Foi levado pra delegacia feliz da vida, onde deve esperar que os tiras paranaenses venham buscá-lo.

Mas nem todo mundo encarou a jaula com tanta alegria. José Flávio dos Santos, 31, foi guentado na rua Portugal, bairro das Nações, em Balneário Camboriú. Os meganhas desconfiaram da cara de quem tava devendo de José, e consultaram o sistema caça-malacos. Descobriram que ele tava pedido pela dona justa do Balneário há 30 dias, acusado de ter participado de um assalto em 2006. Ao contrário de Cleverson, José, que é paraibano, fez beicinho quando ganhou a passagem só de ida pro xilindró.

Em Camboriú, durante uma operação pente-fino, os milicos abordaram Sérgio Becker Gonçalves, 30, no loteamento Conde Vila Verde. Fazia um mês que ele tava pedido pela justa da Maravilha do Atlântico por ter participado de um assalto. Ganhou uma estada no cadeião, com tudo pago.

  •  

Deixe uma Resposta