• Postado por Tiago

Barnabé chamou a polícia depois de receber denúncia de morador

Uma renca de títulos de eleitor foi encontrada, ontem à tarde, dentro de uma caçamba de entulho, no centro de Balneário Camboriú. Parte dos papélis tava preenchida, e outro tanto eram documentos em branco. O chefe da zona eleitoral garante que nenhum formulário de título pode sair do cartório e não sabe explicar o que rolou. O caso vai ser investigado pela polícia Federal de Itajaí, que não descarta a possibilidade de serem documentos falsos.

A descoberta foi feita por um morador da rua 902. Ele viu a papelada na caçamba, achou que tinha alguma coisa errada com aquilo e telefonou pra Leonardo Martins Machado, que é barnabé da secretaria de Inclusão Social na Maravilha do Atlântico, pra contar a história.

Leonardo pintou na área e levou um susto com o que viu. Centenas de títulos de eleitor tavam jogados no meio dos entulhos. Uma boa parte deles tinha sido queimada dentro de uma roda de carro e o restante tava inteirinho.

Alguns títulos tavam em branco e outros preenchidos com nomes e datas em que foram impressos. Todos eram de diferentes meses de 2005 e muitos tinham sido marcados à caneta com a palavra ?inútil?. Junto com os documentos tinha uma impressora, que também foi jogada no meio do entulho.

A caçamba foi colocada na rua por conta de uma reforma numa casa. O pedreiro que trampava por ali, ontem, disse que não sabia de onde tinha vindo a papelada. Ele comentou que na noite anterior o trambolho tava bem cheio, mas durante a madrugada alguém levou boa parte do material e os títulos, que tavam quase no fundo da caçamba, apareceram.

Sem saber o que fazer com a descoberta, Leonardo avisou o pessoal do cartório eleitoral, que pediu que ele chamasse a polícia Militar. Os policiais pintaram no local, deram uma boa olhada no material e passaram a responsa pra polícia Federal peixeira.

A caçamba foi recolhida pela PF e vai ser analisada nos próximos dias. O delegado Thiago Giavarotti, que tá cuidando do caso, disse que o primeiro passo será provar se os documentos são originais ou não. ?Primeiro vamos descobrir se o papel é o oficial, do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), ou se é uma falsificação?, avisou. Só depois vai ser possível descobrir quem foi que jogou os títulos na caçamba.

Coisa estranha

Quem ficou de cabeça quente com a descoberta do material foi o pessoal do cartório eleitoral. O chefe substituto da 56ª zona, Fábio de Almeida, disse que os títulos não podem sair do cartório nem que a vaca tussa. ?Os títulos em branco nunca são inutilizados. Os que foram preenchidos de forma errada têm a numeração de série do formulário anotada, depois é feito requerimento pro TRE, pedindo pra fazer o descarte. Depois de autorizado, é lançado edital por 15 dias e só depois o material passa por trituração ou incineração, dentro do próprio cartório?, contou. Ele não soube dizer como os papélis podem ter ido parar na rua.

  •  

Deixe uma Resposta