• Postado por Tiago

Nem só de baladeiros e ‘piriguetes’ vive o turismo em Santa Catarina. A inauguração do santuário da Madre Paulina, em Nova Trento, em 2002, impulsionou o fluxo turístico pra pequena cidade de cerca de 12 mil habitantes, a 80 quilômetros de Itajaí, orgulhosa de ter sido o cenário da saga da primeira santa brasileira. Ela foi beatificada em 1991 e canonizada pelo papa João Paulo 2º em 2002. Madre Paulina, na verdade, é italiana, e veio na primeira leva de imigrantes. Ela viveu quase toda sua vida na cidade, que agora vive um novo ciclo econômico por sua santa causa.

Aliás, é justamente por causa da colonização europeia, especialmente italiana, que Santa Catarina se tornou rota obrigatória do turismo religioso. Antes do boom provocado pela canonização de Madre Paulina, Nova Trento já atraía devotos de Nossa Senhora do Bom Socorro, cujo santuário fica no cume do morro da Cruz. Outra cidade de colonização italiana que é cheia de templos é Rio dos Cedros, a uma hora e meia da city peixeira. A cidade serrana tem 28 igrejas e capelas dedicadas a tudo quanto é santo: Santo Antônio, São José, São Fracisco, São Sebastião, São Judas Tadeu, Santa Terezinha, São Roque, Santo Inácio e por aí vai. Além disso, tem uma natureza exuberante, com trilhas ecológicas, cachoeiras e mirantes.

Angelina é outra cidade da Grande Florianópolis famosa por seu roteiro religioso. Tanto que a principal data do município, 7 de dezembro, é justamente da festa do santuário de Nossa Senhora de Lourdes. A imagem da santa veio da Alemanha em 1899 e foi benta pelo bispo de Curitiba em 1902. A partir daí, virou culto. Em Rodeio, no Médio Vale do Itajaí, a maior atração é o Heremitério Bem Aventurado Egídio de Assis, uma construção em pedra, em estilo medieval, habitado por frades e pra quem quiser fazer retiro espiritual.

Brusque, a 36 km de Itajaí, também tem boa parte do povo com sobrenome italiano. É lá que fica o santuário de Azambuja e a centenária capela em honra à Nossa Senhora do Caravaggio. Na década de 50, foi construído um novo point da fé: o morro do Rosário, com os 15 ministérios do rosário, distribuídos ao longo do caminho que dá acesso ao santuário. E pra completar, um seminário que tem a missão de renovar o staff dos párocos espalhados por toda a Santa & Bela.

E até as cidades litorâneas, como Itajaí e Floripa, têm atrações pra quem gosta de passear rezando. Na cidade peixeira, a igreja Matriz, construída nos anos 60, encanta os visitantes com seu estilo gótico e afrescos assinados por Aldo Locatelli. Já na Ilha da Magia, a procissão de Nosso Senhor dos Passos, em abril, reúne milhares de devotos, que assistem à procissão pelas principais ruas da capital. Sem contar as capelas em estilo português do século 18, espalhadas pelos quatro cantos da ilha, e o retiro espiritual que rola no morro das Pedras, tocado pelo colégio Catarinense.

  •  

Deixe uma Resposta