• Postado por Tiago

Ano após ano, o DIARINHO cansou de noticiar os problemas da cidade peixeira que, em vez de resolvidos, se tornaram crônicos

ILUSTRACAO GERAL 2 - ESPECIAL

Texto: Renata Rosa

Ganha um doce quem adivinhar qual a obra mais prometida pelas otoridades peixeiras e que mais foi noticiada nestes 30 anos de DIARINHO? Acertou quem respondeu que a penitenciária da Canhanduba é a encrenca que não sai do noticiário. Aliás, não só aqui como em todo o Brasil. Por que será que por mais que a população cresça, o número de vagas é sempre o mesmo? Por que os presos não votam? E ainda tem aquela lenga-lenga que é preciso construir mais escolas do que presídios. Tá, e até lá, faz como? Dorme um em cima do outro até chegar ao teto?

Pra quem não se lembra ou não era nascido, a cadeia de Itajaí ficava no centro da city até 1986, na avenida Sete de Setembro, onde é o Detran. Por causa das fugas constantes, falta de segurança e pouco espaço, transferiram os presos pro atual cadeião, na avenida Contorno Sul. Na edição nº 585, Dalmo Vieira já questionava no editorial se seria uma cadeia ou uma cadeiazinha, pois foi feita para 120 ?hóspedes?, sendo que já havia 90.

Em 08/05/03, por causa da superlotação (cerca de 400 presos), a dona justa interditou o cadeião e não deixou mais ninguém entrar. O caos na segurança era tamanho que o próprio delegado regional da época, Werner Koepsel, desabafou numa entrevista em 21 de maio: ?Chegamos no fundo do poço?. Quatro dias depois, o DIARINHO faz um raio-x do cadeião, mostrando seus personagens, a venda e consumo de drogas, vocabulário dos presos.

Um mês depois, durante o governo Jandir, é divulgado que iriam construir o presídio na zona rural, no Brilhante; e em 01/07/03, a notícia é que a compra do terreno rolaria em 30 dias. Em três de agosto, chegaram a dizer que o presídio já tinha endereço e seria construído numa área de 66 mil m², por R$ 80 mil. Mas a comunidade tanto berrou, dizendo que não topava ser vizinha do presídio, que Bellini deu pra trás. O abacaxi passaria para as mãos de Volnei Morastoni.

Do Brilhante pra Canhanduba

Em 25/05/05, a Canhanduba é confirmada como o novo local do presídio, que agora seria regional e atenderia Balneário Camboriú e Camboriú. Adiel Truppel informou que área de 140 mil m², ao custo de R$ 600 mil, teve a sua desapropriação decretada em 10 de maio. Itajaí e Balneário pagariam R$ 240 mil, e Camboriú, R$ 120 mil. Em ritmo de campanha, o governador LHS esteve por aqui em 16/06/05 e assinou convênios pra construção do presídio junto com o centro de eventos. O centro tá lá, mas o presídio continua empacado.

Um ano depois, em 26/05/06, parecia que a novela tinha chegado ao fim. A manchete: ?Canhanduba ? construção da nova penitenciária começa em julho?. A matéria dava conta que uma reunião na secretaria de segurança pública determinou a construção do prédio pra 528 presos em julho e não ficava só nisso: tinha um segundo prédio pra mais 560 detentos. A penitenciária tinha recebido dindim federal e um prazo de três meses pro início das obras. Mas em 24/08/06, duas semanas depois da visita do ministro da justiça, Márcio Thomaz Bastos a Itajaí, nada dos R$ 13,2 milhões serem liberados.

Dois anos depois, em 14/09/07, o administrador Maurílio Antônio da Silva decide não receber mais ninguém. A superlotação chegava a 600 presos. Na jaula de Balneário, com capacidade pra 130 pessoas, a lotação era de 397 presos em 26/03/08, e a dona justa, mais uma vez, interveio pra impedir que a panela de pressão fosse pelos ares.

Manchete de 29/04/08: ?Obras do cadeião começam na semana que vem?. A novidade era o canetaço das otoridades obrigando as empresas a colocar o primeiro tijolo em cinco dias. O papéli foi assinado pelo vice-governador Leonel Pavan e pelos responsáveis das empresas Verdicon Construções e Espaço Aberto Ltda. Nada que valesse para os presos, que chegaram ao número estrondoso de 650 em 17/07/08, um recorde histórico. E não adiantava mandar pra outras comarcas, pois todas tavam superlotadas.

O final melancólico desta novela tava na capa do DIARINHO em 29/10/08: ?Entendidos acham papélis da penitenciária abandonados?. O que era pra ser uma vistoria nas obras da penitenciária virou caso de polícia. Os caras dos conselhos de desenvolvimento e segurança de Balneário e Itajaí encontraram o local abandonado e as plantas dos prédios jogados na lama.

  •  

Deixe uma Resposta