• Postado por Tiago

A universidade do Vale do Itajaí (Univali), através do serviço de Atenção à Saúde Auditiva (Sasa), começa a fazer digrátis, a partir de fevereiro, os testes da orelhinha nos bebês peixeiros. O exame é obrigatório, exigido por lei municipal, pra crianças que tenham até 28 dias de vida. Pra marcar o exame, os pais devem agendar um horário na policlínica central.

O teste dura de três a cinco minutos e não dói nadinha. O procedimento avalia a audição nos recém-nascidos, pra detectar se os pequerruchos têm perdas auditivas, pra que no futuro o perrengue não prejudique no aprendizado da fala e da escrita da piazada.

A Univali atendeu 444 crianças de setembro a dezembro do ano passado. Segundo a professora Débora Pagnossim, responsável pelo Sasa, o teste era feito no Marieta, mas como a aparelhagem do hospital estragou desde setembro do ano passado e não foi arrumada, a secretaria de Saúde definiu que a partir deste ano o serviço será realizado permanentemente pela instituição. “Em 2009 fizemos o teste provisoriamente, pois o equipamento deles estava estragado. Esse ano eles solicitaram que nós ficássemos permanente”, diz a professora.

  •  

Deixe uma Resposta