• Postado por Tiago

Um bafafá tá tomando conta na Terra do Marisco. Os universitários da city tão chiando porque os ingressos da festa Nacional do Marisco, que acontece dos dias 11 a 15 de fevereiro, não estão sendo vendidos pela metade do preço aos estudantes, como manda a lei. O Ministério Público já entrou em ação e exigiu que a prefa cumpra a lei.

O universitário Carlos Adelson foi quem iniciou a chiadeira. Ele explica que em todos os eventos comerciais, como é o caso da festa do Marisco, o ingresso precisa ser vendido pela metade do preço pros estudantes, coisa que não tá rolando na Penha. “Eles falaram que a meia-entrada só valeria se comprasse o ingresso na hora. Mas a lei diz que o ingresso precisa ser vendido pela metade do preço antecipadamente também”, debulha.

O carinha, com a ajuda do diretório Central de Estudantes (DCE) da Univali, entrou com um pedincho no Ministério Público pra averiguar a situação. “Nós queremos que o MP cobre uma postura da prefeitura, pois isto é ilegal”, manda o presidente do DCE, Carlos Henrique Heinberg, o Caíque.

Carlos ainda lamentou a posição da prefa em relação ao perrengue. “Eles falaram que não estão aceitando a meia-entrada porque já estariam cobrando meia-entrada de todo mundo”, resmunga. Hoje, o ingresso da festoca custa R$ 20 e R$ 30 pra área VIP, considerado baratinho pela prefa.

MP quer cumprimento de lei

O promotor Luiz Felipe de Oliveira Czesnat, da 2ª promotoria do MP de Balneário Piçarras, avisou que recebeu o reclame dos universitários e que já enviou um ofício à prefa, pedindo que a lei seja cumprida. “Enviei uma cópia da lei estadual que obriga a meia-entrada em eventos. Espero que eles cumpram com a medida, o que acho que vai acontecer”, fala o dotô.

Caso a prefa desobedeça a lei, o MP deve entrar com uma ação civil pública contra o governo municipal, sendo que a prefa pode ser condenada por crime de desobediência. “Se forem julgados, eles provavelmente terão que ressarcir os estudantes, mediante apresentação dos canhotos dos ingressos”, explica Luiz Felipe.

  •  

Deixe uma Resposta