• Postado por Tiago

INTERNA_andrei

Andrei vai aproveitar o 13º pra curtir com a namorada Bruna, comprar presentes e fazer a festa de final de ano com a família

Até 30 de novembro, as empresas têm a obrigação de pagar a primeira parcela do 13º salário para seus funcionários. A segunda parte da gratificação tem que sair até 20 de dezembro. O dinheiro corresponde a praticamente um mês de salário normal e, se não planejar seu uso, ele vai embora rapidinho sem muito resultado positivo. É o que alerta o economista Ricardo Castro Guedes, professor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), especialista em consumo e economia doméstica.

Planejamento não é problema para Andrei dos Santos, 22 anos. Ele trabalha numa empresa de importações em Itajaí e já sabe no que vai usar a grana do 13º. ?Parte do dinheiro vai pros presentes e pras festas de final do ano com minha família, minha namorada Bruna e pra passar uns dias na praia com os amigos?, diz.

Com esse investimento no lazer, Andrei pretende gastar 40% dos aproximadamente R$ 1,6 mil que deve receber como gratificação. A outra parte também tem destino já traçado. ?Vou aproveitar e guardar pras taxas de licenciamento da moto, lá entre janeiro e março. O que sobrar vai pra poupança?, afirma.

O professor Guedes elogia a decisão de Andrei. ?É coerente e olha o planejamento aí?, comenta. Mas ressalta: ?Agora é preciso ter disciplina para que tudo ocorra como o planejado?.

Para o economista, há algumas dicas que podem ajudar no bom uso do 13º. ?Primeiro de tudo, deve-se pagar-se dívidas com os juros maiores, se houver?, ensina. Depois, é fazer aquilo que Andrei já percebeu: comprar os presentes pra família e pessoas queridas. ?Se tiver um planejamento dos presentes para o final de ano, já é bom ir fazendo as compras, assim economizará com os preços e evitará a correria clássica do Natal?.

Antecipar pagamentos de financiamentos ou qualquer outro tipo de empréstimo nem sempre é algo inteligente. Para o economista da Univali, isso somente vale a pena quando o adiantamento das parcelas diminuir o valor delas com a diminuição dos juros.

Reformar a casa, trocar de carango ou motoca, aplicar a grana na poupança. Tudo isso também pode ser uma boa opção. ?Quem determina a prioridade é cada pessoa. Por isso, o planejamento e a disciplina são condições primordiais para o sucesso de qualquer opção de consumo?, conclui Guedes.

Dá pra usar pras férias

Uma dica da consultora em recursos humanos, Patrícia Raquel, é o uso do 13º pra complementar a grana das férias. O trabalhador que tiver mais de um ano de firma pode pedir pra antecipar o pagamento do 13º junto com o dinheiro das férias. O patrão é obrigado a acatar a solicitação. Patrícia diz que o pedido deve ser feito até 31 de janeiro. ?E faça sempre oficialmente, por escrito, que é pra ter validade legal?, alerta a consultora.

Oficialmente o 13º salário foi criado em julho de 1962. Mas, mesmo antes de virar lei, a chamada gratificação natalina já era dada aos trabalhadores por várias empresas.

Por lei, a primeira parcela da gratificação paga pelos patrões corresponde a 50% do salário do trabalhador, mais a média de horas extras e do adicional noturno, explica a consultora. Somente na segunda parcela é que o dinheiro vem com os descontos do INSS e do imposto de renda. O percentual dos descontos vai depender do salário do peão.

  •  

Deixe uma Resposta