• Postado por Tiago

Virou moda atacar motoristas da empresa Deycon, distribuidora da Philip Morris. No quarto assalto em menos de quatro dias, a vagabundagem lucrou uns R$ 72 mil com a carga roubada. O último ataque aconteceu pelas 5h de ontem quando o motorista e o ajudante foram sequestrados em Tijucas e largados nas margens da subida do morro do Boi, na BR-101, em Balneário Camboriú.

O funcionário da Deycon P.R. dos S., 52 anos, e o ajudante B.N.R., 25, faziam a baldeação da carga de cigarros e alimentos do caminhão, placa MEI 8831 Paulo Lopes), para a Kombi, placa MDI 4925 (Joaçaba). Como ainda tava escuro, os carinhas nem viram uma dupla suspeita dar as caras no pátio do posto Modesto, que fica na margem do quilômetro 163 da rodovia.

Um dos vagabundos sacou um trabuco e anunciou o assalto. O bandido rendeu a dupla e enfiou os dois no baú do brutamontes. Em seguida, os vagabundos embarcaram na boleia do caminhão e da Kombi e seguiram viagem pela BR. Só pararam no alto do morro do Boi, na divisa de Itapema com Balneário Camboriú.

Os viados abriram o baú do caminhão e começaram a fazer a baldeação dos 1680 pacotes de cigarros avaliados em mais de R$ 55 mil. A carga foi colocada dentro da Kombi que já tava recheada com outros 499 pacotes de fumo que valem pouco mais de R$ 16 mil. Os pilantras ainda roubaram o celular das vítimas. Em seguida, eles trancaram o baú do caminhão com os funcionários dentro e simandaram com a Kombi. Os assaltantes aparentavam ter entre 20 e 25 anos. Um deles tem cerca de 1.80m de altura e é loiro. Já o outro mede uns 1.60m e é moreno.

As vítimas só conseguiram sair do caminhão quando os bandidos já tinham desaparecido. Eles chamaram os meganhas que ainda vasculharam toda a região da Maravilha do Atlântico Sul, mas não encontraram nem rastro dos putos. Apavorado, B. não quis comentar o assunto com a reportagem ontem de manhã. O funcionário da Deycon só disse que foi a segunda vez esta semana que foi rendido pela malocada. Ele foi alvo dos trastes na segunda-feira enquanto fazia uma entrega em Itapema. Depois de duas abordagens em uma semana, se diz receoso em voltar ao trampo. “Sempre tenho medo”, admitiu.

O delegado André Manoel de Oliveira Filho, da central de Investigação do Balneário, assumiu a investigação do caso ontem e já tem recolhido informações pra abrir um inquérito policial.

O dotô pretende chamar as vítimas pra conferir se realmente há relação entre os assaltos. André arrisca dizer que os assaltos são obra de uma quadrilha que tem atacado a região.

Um por dia

O assalto de ontem foi o quarto registrado na região contra a distribuidora em menos de quatro dias. Na segunda-feira os trastes renderam B. enquanto fazia uma entrega no bairro Várzea, em Itapema.

No assalto o motora perdeu cerca de R$ 30 mil em cigarros. No dia seguinte os bandidos atacaram em Navegantes. Os malacos renderam o motorista W.D. dos S., 45, na avenida Prefeito José Juvenal Mafra. Os desgraçados obrigaram a vítima a dirigir até o bairro Meia Praia e recolheram a carga avaliada em R$ 25 mil.

Na quarta-feira a pilantragem atacou D.P.J., que foi abordado quando saía de um supermercado do centro da Maravilha do Atlântico Sul. Um malencarado simandou com seu carango que tava recheado com uns R$ 25 mil em cigarros. Já outros dois malacos o levaram refém até o bairro Cordeiros, no Itajaí.

  •  

Deixe uma Resposta