• Postado por Tiago

CAPA-ABRE-vereador-de-balneario---dao-koeddermann1

Dão acredita que guarda pode trazer preju pra Balneário

Os vereadores da Maravilha do Atlântico vão fazer uma audiência pública pra discutir com o povão o projeto da guarda municipal. O pedincho partiu do tucano Dão Koeddermann (PSDB), que acha que a proposta, do jeito que tá, vai sair cara demais pro município. O blablablá tá pra ser marcado assim que a ameaça da gripe porca diminuir e os apinhamentos de gente forem liberados.

Durante a semana que os edis tiraram de folga da câmara, porque tavam com medo de se contaminar pelo vírus porcalhão, o vereador Dão, acompanhado do coleguinha Orlando Angioletti (DEM), visitou outras cidades onde foi implantada a guarda pra ver como é que o negócio funciona. Descobriram que em alguns municípios, o que era pra ser segurança acabou em preju. ?O nosso medo é que aconteça como em outras cidades, como Foz do Iguaçu, em que o custo da guarda aumenta com o tempo e é preciso diminuir investimentos em outras áreas?, disse Dão.

O tucano afirma que o projeto entregue pela prefa à casa do povo não diz exatamente quanto vai sair dos cofrinhos públicos pra pagar os novos guardas. ?O cálculo é que sejam uns R$ 4 ou 5 milhões ao ano, no início. Mas com o tempo, precisa de mais efetivo, mais carros, mais armas. Acaba virando uma bola de neve?, carca o vereador.

A ideia da guarda do Balneário é bem parecida com a de Curitiba (PR), com a diferença de que na capital paranaense boa parte do custo é pago pelo governo federal. ?Lá, 50% dos recursos vêm do Pronasci (programa nacional de segurança pública com cidadania)?, comenta Dão.

Ele acha que é importante que o povão saiba disso e discuta antes de aprovar a guarda. ?Depois que montou, não tem mais como recuar. Acho que precisamos saber primeiro se podemos contar com ajuda do estado e do governo federal pra arcar com os custos?, diz.

Vai pedinchar recurso

O abobrão da secretaria de segurança do Baneário, Nilson Probst (PMDB), garante que não vê problemas na ideia de um plá sobre a guarda em audiência pública. ?Já fizemos várias reuniões pra discutir isso, mas é sempre importante que a comunidade se manifeste?, diz.

Questionado sobre o palpite do vereador Dão, de que a prefa vai se embananar pra pagar os custos com os guardinhas, Nilson garante que dá e sobra. ?Pelos cálculos que fizemos, a guarda só vai comprometer 0,7% do orçamento?, afirma.

O secretário diz que vai pedinchar uma mãozinha do governo federal depois que os guardinhas já estiverem trampando. ?Primeiro vamos implementar e depois mandar projeto pra tentar recursos do Pronasci?, avisa.

  •  

Deixe uma Resposta