• Postado por Tiago

O valor para contratação de uma empresa pra cuidar de canteiros e do ajardinamento em Itajaí foi publicado no jornal do município com uma defasagem de 140%. No órgão oficial do município consta que empresa receberia pouco mais de 33 mil por mês pra fazer todo o trampo quando, na verdade, o valor chega a quase 90 mil. A empresa contratada é a J. Moreira, a mesma sobre a qual pairam suspeitas de envolvimento do vereador Douglas Cristino (DEM), que tá sendo investigado pela câmara de vereadores.

A prefa publicou, no dia 8 de setembro, no jornal do município, o contrato com a J. Moreira que previa um pagamento de 446 mil reales à empresa pelo trampo de ajardinamento, criação de canteiros e outros “serviços diversos”, pelo período de 12 meses.Desse jeito, o custo mensal do trampo seria de 37,1 mil reales.

O problema é que o contrato não prevê 12 meses de trampo e sim apenas cinco. Refazendo as contas, a J. Moreira recebe 89,2 mil reales por mês pra deixar a cidade bonitinha. A diferença entre o valor publicado e o valor real do pagamento é de 140%.

A secretaria de Comunicação, responsável pela publicação do jornal, diz que o conteúdo é de responsabilidade de cada secretaria, que envia seus editais e atos que precisam ser publicados. No caso do contrato a secretaria de Administração foi quem repassou a informação errada. A barnabé Marisselva Camargo confirmou ontem que o contrato é apenas para cinco meses. “O contrato pode ser prorrogado pra 12 meses sem ter reajuste, mas o valor publicado é referente a cinco meses de contrato”, explicou.

Quebra de contrato

O contrato com a J. Moreira pode terminar antes do previsto. O secretário de Obras, Tarcízio Zanelato, tem uma reunião hoje com os representantes da empresa pra propor um acordo e encerrar o trampo no dia 31 de dezembro. O secretário não tá contente com o trampo da J. Moreira, que tem apenas 57 funcionários disponíveis pra pegar no batente. “Quando fizemos a licitação, não imaginávamos que teríamos tantas demandas”, explicou o secretário.

A ideia de Zanelato é fazer uma nova licitação pra dividir o trampo que hoje é feito apenas pela J. Moreira. A ideia é ter uma equipe só trampando no ajardinamento, outra que fique responsável pela roçagem e uma terceira que fique com a poda das árvores. “Não podemos usar mais herbicida no calçamento e isso aumentou muito o trabalho de roçagem. Com a quantidade de funcionário que a empresa tem hoje é impossível dar conta do trabalho”, explicou. o abobrão.

  •  

Deixe uma Resposta