• Postado por Tiago

Desgraceira arrancou árvores e detonou uma porrada e meia de placas de publicidade pela cidade inteira

Telhado do estacionamento foi pra chón

Muro da Millium virou farelo

A ventania que rolou na madrugada de ontem deixou um rastro de destruição em Itajaí e região. Segundo a Defesa Civil peixeira, 40 ocorrências foram registradas desde as 2h30, quando o temporal começou a cair. As principais ligações relatavam queda de árvores e destelhamento de casas.

O desmoronamento do muro da loja Millium, na rua Silva, e o desabamento de parte da cobertura do estacionamento do supermercado Xande, na Fazenda, foram algumas marcas da ventania que passou pelo Itajaí. No supermercado uma caranga estacionada ficou presa embaixo da estrutura metálica que despencou.

Ainda no centro da cidade, os toldos que ficam em frente ao McDonald?s, na Contorno Sul, amanheceram virados num alho. Pra todo canto que se olhava se via placas de publicidade detonadas e árvores pedindo arrego.

Na escola Nilton Kucker, na rua Alfredo Trompowski, árvores caíram e quebraram parte do muro do colégio. A biblioteca pública ficou sem algumas telhas e uma árvore na praça em frente à prefeitura também foi pro chão com a força do vento. As sinaleiras deram pane e os guardinhas do Codetran tiveram que ir para as ruas para arrumar o tumultuado trânsito da city.

Próximos dias

O major Sérgio Murilo de Mello, coordenador da Defesa Civil do Itajaí, contou que não houve desabrigados e desalojados na cidade peixeira. O órgão se encarregou de colocar lonas sobre os telhados que tinham voado e tentou ajeitar as árvores que partiram ao meio. Como a chuvarada vai continuar, o major alerta para as casas que estão localizadas em áreas de risco, como nos bairros Nossa Senhora das Graças e Padre Jacó. ?Tem que ficar atento com a questão do destelhamento. Em qualquer caso, é bom ligar para a Defesa Civil ou para os bombeiros?, explicou Sérgio.

CARACA! Ventania ultrapassou 90 km/h

A ventania no litoral ultrapassou os 90 Km/h. Pelo registrado por técnicos do Centro de Informações de Recurso Ambientais (Ciram), a velocidade do vento chegou a 92,1 km/h na cidade peixeira, enquanto o máximo costuma chegar a 50 km/h. ?A partir de 60 km/hora já é considerado intenso. Já é considerado rajada de vento que pode carregar objetos não pesados e derrubar placas?, explica a técnica em meteorologia Laís Fernandes.

  •  

Deixe uma Resposta