• Postado por Tiago

Roberto Souza Junior (PMDB) tá intisicado desde quando os tucanos deram o nome de Ruth Cardoso pro hospital

CAPA-GERAL-ABRE

Roberto: ?Buscam uns nomes que são só pra puxar saco?

O vereador Roberto Souza Junior (PMDB) resolveu acabar com a farra na hora de dar nomes aos prédios públicos de Balneário Camboriú. Ele bolou um projeto de lei que obriga as novas construções feitas pela prefa a ganharem nomes de pessoas que já viveram na Maravilha do Atlântico. O edil admite que decidiu botar regras nessa história porque não engoliu o nome dado pelos tucanos ao hospital Ruth Cardoso, em homenagem à ex-primeira dama brasileira que bateu as botas no ano passado. ?Eu gostaria que mudasse?, carcou.

Pela proposta de Roberto, todos os prédios públicos vão ter que levar nomes de pessoas que não necessariamente tenham nascido na city, mas que tenham morado por estas bandas pelo menos por algum tempo e fizeram a diferença na história do município. ?Hoje buscam uns nomes que são só pra puxar saco. Acho que temos que relembrar as pessoas que fizeram a história de Balneário?, lascou o vereador.

Apesar do projeto falar só dos prédios que ainda serão inaugurados, Roberto acha que o correto seria fazer um baita troca-troca e mudar a nomenclatura de todas as construções públicas que são chamadas por nomes que não têm nada a ver com o município. Se for assim, até a praça principal da cidade, a Almirante Tamandaré, teria que ganhar uma nova identidade. ?A praça não tem como trocar. Mas as creches, por exemplo, poderiam ter os nomes modificados?, sugere o edil.

É revanche

Roberto, que é da bancada do governo na câmara, reconhece que sua proposta foi uma maneira de evitar perrengues como o que rolou no início do ano, por conta do nome do hospital municipal do Balneário. Antes de desgrudarem das cadeiras mais estofadas do paço da rua Dinamarca, os tucanos, que tavam no poder, aprovaram o nome da ex-primeira dama Ruth Cardoso pro hospital.

O prefeito Edson Periquito (PMDB) não gostou nadinha da ideia e assim que assumiu a prefa mandou um projeto de lei pra câmara pra tentar mudar o nome da discórdia. Os vereadores não toparam e continuou tudo do jeito que tava. ?O hospital nem tava pronto pra ser inaugurado. Não achei certo?, lascou Roberto.

Mas apesar da cutucada, o vereador Dão Koeddermann (PSDB), que é líder da turminha da oposição, joga confetes no projeto do colega. ?Não tenho dúvidas de que é um projeto político, mas o importante é que dá oportunidade de homenagear pessoas importantes pra cidade?, afirmou.

Questionado se o hospital municipal não deveria, então, ter outro nome, Dão desconversou. ?Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Esse projeto de lei ainda não existia. A Ruth Cardoso foi socióloga e durante o governo do Fernando Henrique Cardoso houve conquistas muito importantes na área da saúde?, justificou.

  •  

Deixe uma Resposta