• Postado por Tiago

CAPA-BASE-g---barra-elha

Ninguém teve coragem de votar contra

Os vereadores da Barra Velha aprovaram na sessão da última quinta-feira o projeto de lei que diminui os salários do prefeito, vice e mais alguns abobrões da prefeitura. Com o ajuste, a cidade pode economizar cerca de R$ 82 mil por mês. Agora o projeto vai para aprovação do prefeito Samir Mattar (PMDB).

Com a aprovação do projeto por seis votos contra duas abstenções, os salários passam a ser assim: prefeito de R$ 11,1 mil para R$ 8150, vice-prefeito e secretários municipais de R$ 5270 para R$ 3,7; diretor de secretaria de R$ 3162 para R$ 2320; assessor de gabinete de R$2371,50 para R$ 1.750 e assessor de diretor de R$ 1317,50 para R$1120.

Votaram a favor da aprovação do projeto os vereadores Cezar do Rio Novo (DEM), Nivaldo José Ramos (DEM), Valdir Tavares (DEM), Carlos Alberto da Silva (PR), Douglas Elias da Costa (PR) e Eurico dos Santos (PSDB). Dois vereadores se abstiveram: Fábio Roberto Brugnago (PP) e Manoel Miguel Pinheiro (PMDB).

O vereador Cézar do Rio Novo (DEM) disse que votou a favor porque a diferença do salário dos secretários pros barnabés é muito grande e não acha isso justo. ?A cidade precisa de uns ajustes financeiros e os servidores vão ver que dá pra trabalhar bem com esse novo salário, que ele é justo?, disse César.

Já o vereador Fábio Roberto Brugnago (PP) afirmou que se absteve de votar porque a Lei Orgânica do Município diz que a alteração de salários só pode ser feita de uma gestão para outra. O progressista disse que se querem cortar gastos poderiam começar demitindo os 150 funcionários comissionados contratados neste ano e juntar algumas secretarias e entidades como a fundação de Turismo e a secretaria de Turismo, que têm a mesma função, e juntar as secretarias de Administração e Finanças. ?Ano passado a folha da prefeitura não passava de R$ 700 mil, hoje já tá em R$1,3 milhão?, lascou Fábio.

Reunião, reunião

O prefeito de Barra Velha Samir Mattar tava em reunião durante toda a tarde e, segundo seu assessor de imprensa, Juvan Neto, até o fim do expediente de ontem ainda não tinha sido comunicado oficialmente da aprovação do projeto. Assim que receber o comunicado, o prefeito deve estudar o caso e se pronunciar.

  •  

Deixe uma Resposta