• Postado por Tiago

Os vereadores das citys da região da foz do rio Itajaí-açu, reunidos no Parlaamfri, decidiram pressionar deputados federais e senadores quanto aos royalties de petróleo que atualmente são pagos ao Paraná. Por uma divisão duvidosa do instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a base da Petrobras que fica a 170 quilômetros da costa de Santa Catarina, na altura de São Francisco do Sul, pertence ao território paranaense. Há anos a pendenga vem caminhando na justiça, mas até agora nada foi resolvido. Os edis vão marcar uma reunião com o ministro relator do processo, Joaquim Barbosa. Eles dizem que resolveram pressionar pessoalmente o ministro pela falta de interesse que os políticos catarinenses em Brasília estão tendo no assunto.

O presidente da Parlaamfri, Aquiles da Costa (PMDB), conta que semana que vem vai a Floripa marcar um plá com o governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Já no dia 20 deste mês, o vereador tem viagem marcada a Brasília e incluiu na pauta o agendamento da reunião com o ministro Joaquim Barbosa. Na sessão da Parlaamfri de quarta-feira, os edis resolveram criar uma comissão para tocar o assunto dos royalties. “Nosso objetivo com o relator do processo é saber por que não despachou o processo ainda, e que solicite uma empresa correta para fazer a demarcação da área”, explica Aquiles.

O autor da preposição para a criação da comissão foi o vereador Evandro Argenton (PSDB). O edil conta que, em setembro, enviou um ofício através da câmara de vereadores de Navega a todos os deputados federais e senadores do estado, ao todo 22, perguntando como andava o processo da briga pelos royalties de petróleo. Somente os senadores Neuto de Conto (PMDB), Raimundo Colombo (DEM) e o deputado Edinho Bez (PMDB) enviaram respostas e ainda sem muitos esclarecimentos. “Descobri que este processo tá parado e que nossos representantes lá em Brasília não estão agindo”, comenta. Segundo Argenton, em 18 anos, o Paraná já arrecadou mais de 40 milhões de dólares com os royalties que deveriam vir para Santa Catarina.

  •  

Deixe uma Resposta