• Postado por Tiago

PAGINA-9-ABRE-g---vereador-fabricio

Fabrício: ?Daqui a pouco não vamos ter como trabalhar?

Os vereadores da Maravilha do Atlântico derrubaram o veto do prefeito Edson Periquito (PMDB) ao projeto da transparência, que obriga a prefa a divulgar em até cinco dias úteis todas as licitações, compras e até pesquisas de preços que rolarem em sua administração. O homem-pássaro tinha dito um não bem grande pra proposta, alegando que era inconstitucional. Mas, como a última palavra é a da câmara, a alternativa pro prefeito, agora, é engolir a nova lei ou recorrer à dona justa.

O projeto, que tinha sido aprovado por unanimidade em julho, recebeu o veto de Periquito no mês passado. No canetaço o prefeito carca que a proposta fere a Constituição porque traz despesas à prefa e os vereadores não podem criar novos gastos pro executivo.

O veto entrou em votação na sessão da câmara de terça-feira e foi derrubado por seis votos da oposição, contra três da bancada do governo. Só foram a favor do prefeito os vereadores Asinil Medeiros (PR), Marcos Kurtz (PMDB) e Roberto Souza Junior (PMDB). A líder da turminha de Periquito na casa do povo, vereadora Christina Barrichello (PPS), deu uma de espertinha e vazou do plenário durante a votação pra não ter que dar o seu pitaco.

O cabeça da nova lei, vereador Fabrício de Oliveira (PSDB), só não pôde comemorar muito a derrubada do veto porque ganhou um novo não do homem-pássaro. Periquito mandou pra câmara ontem o veto a um projeto de lei que trata das disposições orçamentárias, que obriga o prefeito a explicar tintim por tintim tudo o que vai fazer com a grana da prefa. ?O prefeito veta nossos projetos e consegue liminar para que não possamos opinar em convênios. Daqui a pouco não vamos ter como trabalhar. Acho que são atos políticos desnecessários e desrespeitosos contra a câmara?, carcou o tucano.

O procurador da prefa, Marcelo Freitas, já adiantou que vai tentar reverter a derrubada do veto na dona justa. ?O prefeito ainda não se manifestou quanto a isso, mas é nosso dever de ofício recorrer?, lascou. Ele disse que, na semana que vem, a prefa vai entrar com sete ações diretas de inconstitucionalidade (Adin) na justa, pra questionar itens da lei orgânica. Uma dessas ações vai tentar melar a lei da transparência. ?Daqui a pouco vamos ter um arcabouço de leis viciadas. Não podemos deixar isso acontecer?, carcou.

  •  

Deixe uma Resposta