• Postado por Tiago

g-sessão-da-Câmara-lamin-(1)

Assunto era a farra das contratações de empresas sem licitação denunciadas pelo DIARINHO

A sessão de ontem à noite da câmara de vereadores peixeira tinha tudo pra mostrar que, enfim, os vereadores tavam lá defendendo os interesses dos itajaienses. Mas o que se assistiu foi uma manobra desesperada da bancada governista para calar a oposição, que tava com o exemplar do DIARINHO em punho, pronta pra chutar o pau da barraca. O assunto do dia era mais um escândalo da administração Jandir Bellini (PP), que se valeu do estado de calamidade pública pra contratar empresas suspeitas e sem licitação. Mas com a inscrição de todos os vereadores, inclusive os ausentes, restaram reles seis minutos pro vereador Nikolas Reis (PT) tocar no assunto.

?São tantos os escândalos que nós ficamos até em dúvida sobre a qual dar prioridade. Primeiro foi aquele contrato de uma empresa pra dobrar roupas que custou R$ 120 mil, agora esta coisa vergonhosa de R$ 400 mil e nem se sabe se a empresa cumpriu o contrato?, declarou Nikolas. Quando ele subiu à tribuna, às 19h, apareceram como que por encanto os vereadores Luiz Carlos Pissetti (DEM) e Clayton Batschauer (PR), a tempo de diminuir o espaço que seria usado pela oposição. ?É uma manobra legítima, mas não deixa de ser intrigante, já que é uma tentativa de banalizar o escândalo das contratações de chegados com dispensa de licitação?, berrou o petista.

Como resultado prático da peleja política, que também abordou a questão da troca de cores das lixeiras, ficou o requerimento do vereador Paulinho Amândio (PDT) de pedir a folha de pagamento e o cadastro dos funcionários da empresa Argolo Empreiteira de Mão de Obra, que garfou três contratos com a prefa no valor de R$ 400 mil. O requerimento se junta a outro já aprovado que pediu informações sobre os contratos de dispensa de licitação.

A empresa em questão estaria em nome de Ângela Cristina Argolo da Silva e teria sede em Navegantes, na casa da mulher. O serviço para qual a empresa foi contratada era a remoção de entulhos de Itajaí (R$ 148 mil), a pintura do posto de saúde da Murta (R$ 28 mil) e a limpeza de 33 escolas (R$ 214 mil).

Outro detalhe é que para a secretaria de educação, para quem a empresa prestou serviço, a sede fica no bairro São João, na casa de uma ex-diretora, que é irmã de Angela e o marido sócio da Argolo. Como disse o vereador Laudelino Lamim (PMDB), quando presidia a sessão, antes da chegada de Pissetti: ?todo governo tem os seus imbecis e seus idiotas?. Resta saber se alguém vestiu a carapuça.

  •  

Deixe uma Resposta