• Postado por Tiago

PAGINA-7-BASE---g---cobradores-onibus----foto-rubens-flores-27out09-(1)

Trabalhadores podem ser dispensados como desculpa pra baixar tarifa

O vice-prefeito da capital manezinha, João Batista Nunes (PR), que acumula o cargo de secretário de Transportes de Floripa, disse pra todo mundo ouvir que existem duas maneiras de reduzir o custo da tarifa dos busões na cidade: diminuir o número de linhas ou colocar os cobradores no olho da rua.

O abobrão explicou que a prefa paga às empresas de transporte coletivo dois valores pela cobrança das passagens dentro dos busões. São 40 centavos pra que cada latão tenha o seu cobrador sentadinho, atendendo o pessoal, e mais cinco centavos pra que as maquininhas de bilhetagem eletrônica continuem funcionando. ?Não tem por que a cidade pagar duas vezes pela mesma coisa?, lascou.

A redução das tarifas na capital, na opinião do vice-prefeito, passa obrigatoriamente por uma discussão sobre a necessidade de existir cobrador nos busos. ?Temos que discutir com a sociedade se o cobrador é importante para o sistema. Não se admite mais o cidadão pagar duas vezes pela mesma coisa. Isso é desonesto. É imoral?, disparou.

Redução de linhas

Pelo menos 35 linhas da Transol já atuam com redução de horários desde o início da semana. O vice-prefeito garante que a medida foi adotada porque há linhas com destinos parecidos e que circulam com poucos passageiros, o que aumenta o custo da operação. ?Existe um excesso de ônibus e de horários na cidade?, comentou.

João Batista diz que as empresas acreditam que, quanto mais ônibus circulando, maior a arrecadação e que essa ideia não faz o menor sentido. ?Isso está flagelando o sistema. Existe um estudo de demanda que aponta que estes ajustes são fundamentais?, lascou.

  •  

Deixe uma Resposta