• Postado por Tiago

Povão chegou a colocar placa proibindo a entrada de chibabas em terrenão baldio

A frase é o sinônimo do desespero dos moradores do Cidade Nova, bairro da periferia de Itajaí. Uma placa com a inscrição ?Proibida a entrada de usuários de drogas?, feita à mão, foi pendurada na entrada de um terrenão baldio na rua Otto Hoier, bem nos fundos da Associação dos Servidores Públicos Municipais de Itajaí (ASPMI). Um retrato do medo e insegurança de quem vive num dos mais populosos bairros da cidade. ?Nem ouse passar sozinha por aqui à noite?, alertou o aposentado A. à repórter do DIARINHO.

Seu A. tem medo de revelar seu nome. Conta que nem sempre reina a calmaria no bairro, como ontem à tarde. O aposentado, que trampa bem pertinho do terreno, disse que a violência e as drogas estão disseminadas pelo Cidade Nova. ?Tinha até um banco de madeira lá nos fundos do terreno. Acho que os próprios moradores acabaram tirando ele dali, pra evitar que os drogados invadam o terreno de vez?, contou.

O aposentado admitiu que nos últimos meses tem percebido a presença mais frequente de policiais militares pela Otto Hoier. ?Não sei se a placa foi um aviso de que a coisa tá feia ou se o número de bandidos aumentou pra esses lados de cá mesmo?, comentou, referindo-se ao aviso na porteira do terreno onde pastavam tranquilamente alguns cavalos.

O DIARINHO tentou ouvir outros moradores próximos ao terreno. Ninguém quis abrir o bico. A lei do silêncio parece imperar na comunidade. Além de seu A., o único que falou limitou-se a dizer que não vê nem ouve nada.

Pessoal quer posto policial

A vice-presidenta da associação de Moradores do Bairro Cidade Nova, Maria Elaine de Oliveira, lamentou que a violência e presença de usuários de drogas na comunidade são grandes. ?É o que mais temos recebido de reclamação?, afirmou.

Elaine contou que na próxima semana pretende, junto com a presidenta da associação, procurar o prefeito Jandir Bellini (PP). A reivindicação do povão é a de um posto policial por lá. ?Nós temos o posto ali do Rio Bonito, mas não é suficiente. Até se deslocarem aqui pro Cidade Nova, a violência já aconteceu. Precisamos de mais policiais?, suplica.

  •  

Deixe uma Resposta