• Postado por Tiago

Diretor da vigilância foi conferir denúncia de leitor

A Vigilância Sanitária de Itajaí não encontrou rato nem seu cocô no meio dos pãezinhos do Xande, como um cliente jura de pés juntinhos que viu na tarde de terça-feira, mas viu algumas irregularidades, como uma bagunça danada e falta de limpeza no depósito de produtos. Apesar do alvará estar dentro do prazo, a empresa não apresentou o certificado de dedetização. O gerente do mercado disse que os deslizes apontados pelo laudo passam despercebidos no dia-a-dia e garantiu que tudo o que foi pedido pela fiscalização já tá sendo providenciado.

Na inspeção os barnabés encontraram problemas como falta do certificado de desratização e desinsetização, que, segundo o diretor da vigilância, Luiz Antônio Espinosa, deve ser feita a cada seis meses com o acompanhamento frequente do técnico responsável da empresa que presta o serviço.

Além disso, os fiscais encontraram falta de organização e limpeza em alguns depósitos e no setor de carga e descarga e estrados ? aquelas grades onde ficam empilhadas as mercadorias. Os fiscais acharam ainda muito material velho, como folhetos de preços e embalagens, no mesmo local dos produtos. Como nem o rato nem o cocô foram encontrados, nenhum alimento foi recolhido.

Os fiscais fizeram um auto de intimação pras melhorias rápidas, como a retirada do material velho que deve ser arrumado imediatamente, e um auto de infração pras reformas estruturais que têm um prazo de 30 dias pra rolarem. Se não cumprir os prazos, o mercadão leva multa.

Sérgio Luiz Souza, gerente do Xande, disse que os problemas encontrados são pequenos e acabam passando despercebidos no dia-a-dia, mas que tá de olho e arrumando tudinho que os fiscais pediram dentro do prazo estabelecido.

  •  

Deixe uma Resposta