• Postado por Tiago

abre-schurmann

Capitão Schürmann leva suas experiências pra todo canto

Desde que saiu com o veleiro Aysso da costa catarinense para rodar o globo nos anos 80, o economista Vilfredo Schürmann demonstrou que gostava de encarar desafios. Nunca uma família brasileira com três filhos pequenos tinha se metido nesse marzão sem porteira, mas a ousadia mostrou que era sustentável, se bem planejada. Pois é esta habilidade em prever erros de percurso e seguir tranqüilo em direção a sua meta que fez do velejador um homem de sucesso.

Mas como Schürmann não gosta de guardar o aprendizado só pra si, resolveu escrever ?Navegando com o Sucesso?, que será lançado amanhã, às 20h30, no Balneário Shopping, e fará uma palestra beneficiente no domingo de manhã no Recanto das Águas, na Estrada da Rainha. A palestra custa R$ 30 ou R$ 15 mais três quilos de alimentos, que serão doados para as vítimas do morro do Baú, em Ilhota.

Em ?Navegando com o Sucesso?, o velejador conta como conceitos de liderança e trabalho em equipe aprendidos nas empresas por onde ele passou, foram fundamentais na vida em alto-mar e vice versa. Afinal, a vida no mar também ensinou a lidar com os entreveros nos negócios e na vida.

Viagens históricas

Vilfredo, a esposa Heloísa e os filhos Wilhem, David e Pierre partiram de Floripa em 1984 e passaram 10 anos velejando pelos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. Os filhos cresceram a bordo, estudando por correspondência. Wilhelm foi o único que permaneceu os 10 anos no veleiro. Em 1988, Pierre decidiu estudar Administração nos Estados Unidos e David desembarcou na Nova Zelândia, em 1991, pra estudar Cinema e TV.

Em 23 de novembro de 1997, a família iniciou uma nova volta ao mundo, desta vez com a caçula Kat, de apenas cinco anos. A família percorreu 32.657 milhas durante 912 dias, passando por 48 portos, 31 ilhas, 19 países e nove territórios. A expedição foi acompanhada em 44 países, pela internet.

A última etapa da circunavegação foi o trajeto Lisboa-Porto Seguro, na rota de Pedro Álvares Cabral, dentro das comemorações dos 500 anos do Descobrimento do Brasil.

Em 2004, a Família Schürmann completou 20 anos de aventuras. Nas duas décadas visitaram os lugares mais remotos e marcantes do planeta, como a Ilha de Juan Fernandez (Robinson Crusoé). Passaram por momentos tensos, com ondas superiores a 10 metros e ventos de 120 km/h na Nova Zelândia, mas também conheceram paisagens e pessoas maravilhosas.

Alô, alô, cancioneiros!

Depois de quatro anos de jejum, o 5º Festival da Canção de Balneário Piçarras (Fecapi) vai rolar entre os dias 27 e 29 de agosto no Piçarras Shopping. As inscrições já tão abertas e podem ser feitas no saite www.fecapi.com.br ou na secretaria de turismo do município.

Além da inscrição online, os candidatos podem divulgar suas músicas, vídeos e imagens no site do evento, onde os internautas também podem avaliar os artistas. E pode rolar ainda prêmio para os mais votados no saite.

Os participantes vão concorrer em duas categorias: municipal, exclusiva para

músicos da cidade; e estadual, para os candidatos de outras cidades dentro de Santa Catarina.

Só podem ser inscritas canções inéditas, escritas em português e não aceitos artistas que já tenham gravado profissionalmente, pois o objetivo é dar espaço para novos talentos.

Realizado pela primeira vez em 1990, o evento ficou 13 anos parado e

surgiu novamente em 2003, em sua terceira edição. A etapa municipal acontece dia 27 de agosto e a estadual, dia 28. A grande final será no sábado, dia 29, quando piçarrenses e catarinenses vão se enfrentar.

Os vencedores vão levar pra casa R$1 mil; R$ 700 pro segundo e R$ 500 pro terceiro (aumenta a mixaria, aí, prefeito!).

As inscrições vão até o dia 10 de agosto. Mais informações pelo telefone 3345 3603 (secretaria de turismo).

  •  

Deixe uma Resposta