• Postado por Tiago

A “perna brasileira” de fim de ano do WQS teve início ontem, com a realização de 20 baterias da primeira fase. Mesmo com chuva, frio e vento, os surfistas conseguiram mandar altas manobras em boas ondas de quase um metro e meio de altura, na praia do Tombo, no Guarujá, litoral paulista. A etapa com nível máximo seis estrelas oferece uma premiação de 145 mil dólares e 2500 pontos no ranking, e é disso que alguns catarinenses tão atrás, como Tomas Hermes.

O surfista nanico da Barra Velha passou a sua bateria, a sexta do dia, na segunda colocação e avançou à segunda fase, quando terá pela frente o brazuca Ricardo Silva, o francês Joan Duru e o australiano James Wood. Outro barriga-verde que continua na etapa é Beto Mariano, de Floripa, que caiu na água já na primeira bateria do dia. Quem também passou de fase foi o brazuca Gustavo Fernandes, atual campeão brasileiro, que ficou em primeiro na sua bateria. Já outros catarinenses não foram bem e deram adeus à competição, casos do peixeiro Jonatan Busetti e do manezinho Yuri Gonçalves.

Mas a derrota mais surpreendente de terça foi a do carioca Simão Romão, que em 2008 foi vice-campeão no Guarujá. Ele liderou a bateria até o minuto final, quando Dunga Neto e Ricardo Silva conseguiram as notas pra seguirem em frente. Outras surpresas foram as derrotas do experiente Peterson Rosa e de Messias Félix, líder do ranking brazuca.

Nesta quarta-feira, os catarinenses Jano Belo e Ian Gouveia caem na água pra fecharem a primeira fase. Ainda hoje começa a segunda etapa, já com os cabeças-de-chave em ação, como os catarinas Neco Padaratz, Marco Polo e Willian Cardoso.

  •  

Deixe uma Resposta