• 13 jul 2009
  • Postado por Tiago

Atiradores

Conversei com o José Luiz Andrade, o Bilu, responsável pela sinuca do clube Atiradores, e deu para sentir o entusiasmo dele com respeito às mudanças que vêm sendo processadas dentro com clube com a atual administração. Ferinos durante todos os dias da semana, o sinuca a todo vapor, bem como o futebol de mesa, sendo que outras parcerias estão em andamento e que certamente darão mais dinamismo ao clube Atiradores, um dos mais tradicionais de nossa cidade. Está também em estudo uma campanha em busca de novos sócios.

Rejeição

Nunca uma diretoria que comandou o Clube Náutico Marcílio Dias teve tanta rejeição quanto esta que aí está. Brigaram com todo mundo, imprensa, torcida, o empresariado não quer nem passar perto do clube, quanto mais ajudar. Nem na época do Egon da Rosa a coisa estava tão complicada. Até porque se sabe que os problemas eram os mesmos, só que apesar de tudo, naquela época, tínhamos time.

Pérola

Essa eu não assisti, me contaram. Declaração a uma emissora de televisão do presidente do conselho deliberativo, Aldo Correa: “Os dirigentes não entram em campo, não jogam”. Realmente eles não entram em campo, não jogam, mas contratam este time fraco que aí está e que envergonha o torcedor Marcilista. São mesmo uns caras de pau.

Emoções

Cutucaram a onça com vara curta. Esta foi a declaração do presidente do conselho fiscal do Clube Náutico Marcílio Dias, Jânio Flavio de Oliveira, ao ler no site do clube as declarações do “dirigentezinho” maior do Marinheiro. Quem conhece o presidente do conselho fiscal sabe que vai ser uma semana de muitas emoções. Uma delas já posso antecipar: a divulgação do contrato da loja de material esportivo que funciona no centro comercial Marcílio Dias, que foi feito de forma irregular pois ultrapassa o mandato do atual presidente, o que vai de encontro ao estatuto do clube e que, por incrível que pareça, tem o aval do presidente do conselho deliberativo.

Gritaria e censura

Ridícula e irresponsável atitude do presidente do Clube Náutico Marcílio Dias, que no final do jogo Marcílio Dias e Marília, impediu que o repórter Theo Sevey, da rádio Clube/Bandeirantes, entrevistasse o treinador Ronaldo Alfredo, chegando a gritar para impedir a entrevista. É de chorar, viajar mais de 700 km para assistir um jogo medíocre e, no final, ainda ter que aturar a ira de um “dirigentezinho”. São coisas que só acontecem com estas pessoas pequenas, que comandam o Marinheiro.

Irregular

Já são dois os contratos feitos de forma irregular pela atual administração e com aval do presidente do conselho deliberativo do clube. O primeiro é da Lanchonete do Pedrinho, que vence no dia 1º de maio de 2011, e o segundo o da Loja de material esportivo, que vence no dia 15 de outubro de 2011, sendo que o mandato do atual presidente termina no dia 15 de outubro de 2010.

Faça o que eu digo…

Antes não podia e agora pode. Na época que o Marlon Bendini era presidente, impediram que alugasse as salas do centro comercial Marcílio Dias, pois o prazo ultrapassava o seu mandato. Quem mais berrou contra foram o Clovis Forlin e o Aldo Correa. Agora mudaram de ideia e alugaram tudo. Além de que o Marlon Bendini precisava de dinheiro para tentar levar o Marinheiro a série B, enquanto que eles arrecadam para rebaixar a equipe.

O jogo

Pouca coisa dá para falar sobre o jogo em que o Marinheiro foi derrotado pelo Marilia. Não jogou nada e os 3 a 2 até que ficaram de bom tamanho. Mais uma vez salvou-se o goleiro Marcio Kesller, que operou milagres, senão a derrota seria vexatória.

Não acredito…

Conseguiram rebaixar o Clube Náutico Marcílio Dias duas vezes em um ano. É demais, são mesmo uns incompetentes. Será que os conselheiros vão assistir a isto tudo calados?

  •  

Deixe uma Resposta