• Postado por Tiago

zelioprado@yahoo.com.br

Boa vontade

Foi isto que deu pra sentir na entrevista dos dirigentes do clube Náutico Marcílio Dias, no programa Univali Esportes, da TV Univali, domingo à noite. O presidente Abelardo Lunardelli reconhece que a situação é pior do que esperava, mas entende que, apesar da gravidade, principalmente na parte financeira, o clube é viável. Mesmo prevendo muitas dificuldades, declara que vai trazer o Marinheiro de volta a primeira divisão do campeonato Catarinense em 2011. Olha torcedor, boa vontade é obrigação, como também não poderia ser diferente a volta à primeira divisão. O que o torcedor quer mesmo é time, e este lado está complicado pela situação financeira. Como não poderia ser diferente, até porque não temos outra opção, continuo acreditando nesta nova diretoria.

Preocupado

É assim que fico sempre que ouço o diretor de futebol do clube Náutico Marcílio Dias, Euzébio Pereira Neto, o Caloca, falar em time barato para disputar o campeonato Catarinense da Divisão Especial. Já ouvi o homem falar em até R$ 30 mil por mês. Está fora da realidade, pois o Camboriú gastava este ano R$ 75 mil por mês e não foi a lugar nenhum. Espero que a realidade seja outra porque, mesmo com o peso da camisa do Marinheiro, para disputar a competição com tranquilidade vai precisar algo em torno de R$ 100 mil por mês.

Não inventar

É o mínimo que se pede à nova diretoria do clube Náutico Marcílio Dias, e também ao diretor de futebol, na montagem do elenco para 2010. Uma coisa que está deixando todo mundo cabreiro são algumas declarações do diretor de futebol. Primeiro ele veio falando em Zeca Albuquerque como técnico, depois, no programa Univali Esportes, falou no nome de Giovani, que foi auxiliar técnico do Mauro Ovelha. Olha Caloca, não inventa, pois o Zeca Albuquerque não é treinador e sim preparador físico, e dos bons. E o Giovani não tem experiência, pois nunca treinou nenhum time. Isto me dá arrepios, porque lembro do César Silva e Cia., que vieram pra cá aprender e deu no que deu, as piores campanhas da história do clube.

Aluguel

A declaração do diretor jurídico do Marinheiro, Wanderley Godoy, de que o dinheiro do contrato de aluguel da Cassol, qualquer que seja o valor, já está penhorado pela Justiça do Trabalho, não poderia ser pior. Isto complica ainda mais a situação, pois este aluguel, no meu entendimento, seria a principal fonte de renda no início do ano. Falou também que o local onde hoje tem uma garagem de carro, uma ótica e uma lanchonete já está em fase despejo e logo retornará ao clube. Finalizando, o local que foi alugado para a garagem de um prédio, terá o término de seu contrato em 2011.

Enxugou

O presidente Abelardo Lunardelli declarou que, quando assumiu o clube, a despesa fixa girava em torno de R$ 23 mil por mês e o Marcílio Dias arrecadava algo em torno de R$ 12 mil. Atualmente, as despesas estão em R$ 15 mil e a arrecadação girando por volta de R$ 16 mil. Conseguiu enxugar a máquina e equilibrar o que arrecada com o que gasta. Acho que isto não acontecia há muito tempo. Não deixa de ser um bom começo.

Não gostou

Recebo telefonema do presidente do clube Náutico Marcílio Dias, Abelardo Lunardelli, contestando a declaração de um funcionário do clube a este colunista, referente a atraso de salário. Disse o presidente que a única coisa que ainda não receberam foi o 13º salário, que já está sendo providenciado para os próximos dias. Falou que antes não recebiam e ficavam quietos. Agora, segundo ele, estão chorando de barriga cheia.

Gostei…

…da resposta do presidente Abelardo Lunardelli e também do diretor de futebol Caloca, quando indagados se havia a possibilidade do Mauro Ferreira ser o técnico do clube Náutico Marcílio Dias. Foram taxativos: há possibilidade. Boa notícia, pois tem tudo pra dar certo. Carisma, conhecimento e, principalmente, apoio do torcedor marcilista o Mauro Ferreira tem.

Abraços…

…a todo pessoal da Barbearia do Ary, que fica no início da Lauro Muller. O Ary, o Maneca e o Alemão são leitores da coluna e do nosso DIARINHO.

  •  

Deixe uma Resposta