• Postado por Tiago

zelioprado@yahoo.com.br

Contestando

O comendador Cídio Sandri me ligou e contestou o que escrevi na coluna de quinta-feira. Afirmei que para fazer um bom time para disputar o campeonato Catarinense da Divisão Especial e o campeonato Brasileiro da série D o Marinheiro precisava, no mínimo, de uma folha de pagamento em torno de R$ 120 mil mensais. Segundo o comendador, com este valor ele faz três times.

Lembrança

Ele lembrou também que em 1999 a moeda já era o real e com uma folha de pagamento em torno de R$ 16 mil mensais fez um time que chegou à decisão do título. Afirmou também que só não foi campeão porque a federação Catarinense de Futebol não deixou.

Só que …

os tempos são outros e o futebol ficou mais caro, mas por outro lado temos exemplos no próprio futebol catarinense de clubes com pouco dinheiro que conseguem fazer bons times. Cídio citou o Atlético de Ibirama, que com folha de pagamento baixa, consegue estar sempre entre os primeiros do nosso campeonato. Ressaltou que tudo é questão de competência e de saber administrar aquilo que se tem à disposição.

Agora é tarde

Conversei outro dia com um presidente de clube que está disputando o campeonato Catarinense, e a conversa girou em torno das vagas para a copa do Brasil. Ele considera um absurdo dar uma vaga para a copa Santa Catarina e deixar de fora o vice-campeão estadual. Perguntei se ele era contra, porque votou a favor no congresso técnico? O dirigente respondeu que na frente do presidente da federação Catarinense Futebol, Delfim Pádua Peixoto Filho, mesmo não concordando, todos votam a favor das ideias do homem, pois ninguém ousa contrariá-lo.

Não é bem assim

Tinha sido informado pelo diretor de futebol do Marcílio Dias, o Euzébio Pereira Neto, o Caloca, que o Paulinho Portugal seria o novo coordenador do departamento de futebol profissional do Marinheiro. Só que conversando com o Paulinho, fiquei sabendo que houve uma conversa para que ele fizesse uma parceria com o departamento de base, inclusive com a responsabilidade de trazer investidores para o clube. Diz que não aceitou, até porque está muito bem no Metropolitano. Além disso, acho improvável ele voltar ao Rubro-anil, já que ganhou uma ação contra o clube no valor de R$ 200 mil e não abriria mão do que tem a receber.

Imperdível

Neste domingo o programa Univali Esportes, no canal 26 da TV Univali, terá a presença do presidente do Marcílio Dias, Abelardo Lunardelli.

Segundo…

a profecia de um ‘ex-dirigentezinho” do Marinheiro, se o clube parasse toda a imprensa esportiva de Itajaí morreria de fome. Mas pelo que se vê tá todo mundo empregado e trabalhando. Pra variar, não acertaram uma.

Abraços…

ao diretor da rádio e tevê Univali, Alberto César Russi, o Betinho, torcedor fanático do Marcílio Dias e do Botafogo. Ele é leitor da coluna e do nosso DIARINHO.

  •  

Deixe uma Resposta