• Postado por Tiago

Esclarecimento

Recebo telefonema do senhor Rodrigo Capella, diretor jurídico da Federação Catarinense de Futebol, sobre o que escrevi dias atrás na coluna, de ainda constar na tabela de jogos da divisão especial o nome Camboriuense e não Camboriú, visto que o clube já trocou de nome. A comunicação de que o nome estava errado foi passada pelo próprio presidente do clube, mas pelas informações que recebi do Rodrigo Capella o negócio é diferente. Segundo ele, a ata com a alteração do nome do clube foi enviada ao cartório no dia 2 de abril de 2009, registrada 3 de julho e dada entrada na Federação Catarinense de Futebol no dia 14 de julho. Sendo assim, a federação não tem qualquer responsabilidade sobre o assunto e o presidente do Camboriú Futebol Clube falou demais.

Cabreiros

É assim que estão algumas pessoas que prestaram serviços de consultoria ao Clube Náutico Marcílio Dias, e que nada receberam. Com a divulgação no balancete de pagamento no valor de quase R$ 60 mil em consultoria, estas pessoas querem saber quem recebeu o valor, pois elas não viram a cor desse dinheiro. Um mistério que nem Mister M consegue explicar.

Aliviados

Uma fonte que anda lá pelos lados do estádio Hercílio Luz deixou escapar que tem dirigente comemorando que o jogo contra o Brasil vai ser em Jaraguá, longe do torcedor marcilista. Entende o “iluminado” que se fosse realizado em Itajaí, com a possibilidade de rebaixamento, a reação da torcida poderia ser imprevisível. Fazem as besteiras e ficam com medo.

Aprontaram

Para os membros do conselho fiscal, Jânio Flávio de Oliveira e Napoleão Casas, a diretoria do Marcílio Dias aprontou ao marcar uma reunião na noite de quarta-feira, com o pretexto de entregar documentos, sem convidar o presidente do conselho fiscal. Isto é só para fazer cena e montar um circo, pois não tem que marcar reunião nenhuma para entregar documento e sim comunicá-los que os documentos estão à disposição na secretaria do clube. Dos três membros do conselho fiscal, somente o Alexandre Angioletti compareceu, o que não representa muita coisa, pois ele tem negócios com o clube. A empresa dele é que explora o estacionamento.

Mentirosa

É o que se pode dizer da declaração do presidente do Clube Náutico Marcílio Dias, quando afirma que os alugueis foram realizados sem a anuência dos conselheiros, porque o presidente do conselho poderia assinar, citando o artigo 57 do estatuto do clube. Mentira. O presidente do conselho até pode assinar, mas só com anuência do conselho fiscal, o que não foi feito e que tá no mesmo artigo.

E agora

Crispim assumiu que os contratos de aluguel têm vencimento após o término de seu mandato, o que os torna irregulares, e disse também que o próximo presidente não vai ter prejuízo pois continuará recebendo os aluguéis. Mentiroso, pois o contrato com a Lanchonete do Pedrinho, que vence em 1º de maio de 2011, foi pago antecipado o valor de R$ 40 mil. E pelas informações que tenho, o contrato do estacionamento, que também está irregular, foi quitado antecipadamente.

Só queria entender

Se no tempo do Marlon Bendini, quando faltou dinheiro não valia o tal regime de urgência para fazer o contrato, e era para tentar levar o time à série B do Brasileiro, porque é que agora vale para montar time rebaixado? E como é que ficam o atual diretor de futebol e o presidente do conselho deliberativo, que foram os que mais lutaram contra a realização dos contratos na época do Marlon? Coisa feia! Vocês queriam mesmo era ferrar o Marlon, mas ferraram o Clube Náutico Marcílio Dias.

  •  

Deixe uma Resposta